Friday, August 3, 2012

I Festival de Cinema de Marilia - 1960

Note Lola Brah no saguão do maravilhoso cine art-deco vestindo um kimono que ganhou da comunidade japonêsa local. Reportagem da revista 'Cinelândia' da 2a. quinzena de Outubro 1960.
Eva Wilma Reginaldo Farias no palco do Cine Marilia, foram escolhidos melhor atriz e melhor ator do I Festival de Cinema de Marilia pelo filme 'Cidade Ameaçada'. À esquerda Airton Garcia e à direita Jean Laffront.

Marília continua na ordem do dia. Para você, os leitores de Cinelândia, que aqui têm agora novos e interessantes flagrantes do certame, e para nós, que lá estivemos então, participando da iniciativa do Clube de Cinema, do Lions Club e da Prefeitura de Marilia, e convivendo de perto com a boa gente marilense. Zenaide Andréa, jornalista de Cinelândia.


reportagem da Cinelândia sobre o festival. Odete Lara aparece adentrando a sala de exibição do Cine Marilia, obtendo aplausos da multidão na noite inaugural, sexta-feira dia 9 de setembro de 1960, quando foi apresentado o filme 'Na Garganta do Diabo', de Walter Koury, por ela estrelado.

Na foto anterior Alberto Ruschel aparece ao lado de colegiais marilienses. Ruschel e Anselmo Duarte eram os galãs mais populares do cinema nacional então, provando que o festival mariliense foi de primeiríssima classe. 

Na foto de cima aparece o galã Aírton Garcia, que ainda não tinha aparecido no cinema, mas já tinha fama em apresentações em TV na capital paulista. Ele assina autógrafos às meninas embevecidas com seu corpo de atleta e topete à la Elvis Presley. 

A legenda da foto à direita diz: 'Cannes? Não, Marília mesmo! Ela é a francesa Anik Malvil e vai aparecer  em breve na produção 'Conceição'. Ele é Anselmo Duarte, que dispensa qualquer apresentação'. 
cartaz anunciando a programação do I Festival de Cinema de Marília - 9, 10 e 11 de Setembro 1960.

Relato pessoal sobre o I Festival de Cinema de Marília - 9, 10 e 11 de Setembro 1960

Eu tinha 11 anos quando o puro acaso me pôs em contacto com o mundo maravilhoso do cinema, que eu nunca imaginei que existisse. Eu frequentava o curso de Admissão-ao-ginásio do Instituto Themudo Lessa, na rua 4 de Abril, e como eu morava na rua Mato Grosso, tinha que atravessar a linha do trem e a Avenida todas as tardes, já que de manhã eu cursava o 4o. ano primário no Grupo Escolar Thomaz Antonio Gonzaga.

Na tarde do dia 9 de setembro de 1960, sexta-feira, perto das 17 horas, justo no horário que o trem da Cia. Paulista chegava de São Paulo, eu voltava p'ra casa do curso de 'admissão' e me vi envolto no meio de uma multidão bem maior que aquelas do dia 7 de Setembro ou do Dia de Finados. Eram os artistas de cinema que tinham acabado de chegar na estação ferroviária, e estavam desfilando em carro aberto pela rua 9 de Julho e entrando pela Avenida Sampaio Vidal.

Eu fiquei em estado de choque, pois nunca tinha visto tanta gente junta assim... e logo em seguida me conscientizei do que se passava. Vi a Eva Wilma, Ruth de Souza e não sei mais quem. Anselmo Duarte, o maior ator brasileiro estava lá, mas não me lembro dele.

Eu fui seguindo o cortejo até o escuro da noite cair. Depois, devo ter pensando que já era hora de ir embora p'ra casa. Devia ter ficado por lá, mas quando se é criança, a gente sempre pensa que a 'mãe' está em casa preocupada com a ausência muito longa do filho.

E assim ficou essa impressão de festa e alegria que o Festival de Cinema de Marilia me proporcionou. Mais tarde, folheando uma revista 'Cinelândia', me deparei com essa reportagem que aqui está, feita pela Zenaide. Vendo outras revistas da época, cheguei à conclusão que esses festivais de cinema eram realizados frequentemente em várias cidades e capitais do Brasil, já que o cinema nacional era realmente popular.  Carlus Maximus.

Lola Brah, Anselmo Duarte no microfone e Ruth de Souza segurando a chave da cidade de Marília-SP.
Araçari de Oliveira no restaurante do Hotel Líder. Foto cortesia de Erica Montilha, neta de Mario Alves Neves, o sorridente garçon à esquerda. 


13 September 1960 - Noticia no 'Estadão' sobre o Festival de Cinema de Marília; à direita o Estadão de 6 Maio 1962 comenta sobre Araçari de Oliveira, finalista de melhor atriz do Saci de 1961 por sua atuação em 'Bahia de Todos os Santos'. 

Alberto Ruschel dá autógrafos à fãs durante do Festival.
Hollywood comes calling - 9 September 1960.
Ruth de Souza sendo ovacionada pela platéia que lotava o Cine Marília.
Wilson Matos, da Radio Clube de Marília entrevista Anselmo Duarte durante do Festival.
Wilson Matos faz outra entrevista com Anselmo Duarte. [arquivo pessoal de Wilza Matos]
Wilson Matos entrevista estrêlas do nosso cinema, tendo Lola Brah [de óculos escuros], usando kimono presenteado pela comunidade nipônica de Marília.

a francesinha Anik Malvil na piscina do Yara Clube.
Anik Malvil em pose ousada no trampolim do Yara Clube.
Reginaldo Farias sendo entrevistado por Luiz Antonio Barbosa. Zenaide Andréa (de colar de pérolas) aparece no fundo sorridente.  
12 October 1960 - 'Cidade ameaçada' is finally show in the commercial circuit at Cine Paisandu. 
cartaz de 'Cidade Ameaçada', filme vencedor do I Festival de Marilia 1960.
Eva Wilma (melhor atriz) & Reginaldo Farias (melhor ator) em Marilia.
'Cidade ameaçada' tem tudo de 'cinema noir'.
Eva Wilma no auge de sua beleza.
drama forte em 'Na Garganta do Diabo' - 1960.
Luigi Picchi & Odete Lara em 'Na Garganta do Diabo' de Khoury. 
'Na Garganta do Diabo', de Walter Hugo Khouri apresentado na noite da abertura do Festival de Marilia.

1 9 6 8


Luiz Sergio Person e mulher chegam à estação de Marília, em 1968, para receber o prêmio Curumim. Luiz Carlos Lopes segura a camera.
Lola Brah no III Festival de Cinema de Marília.

No comments:

Post a Comment